Salve salve Nerdaiada! Como prometi no post anterior sobre o filme 47 Ronins (se você não leu, veja lá porque acrescentei o clip mais atualizado do o filme) trago a vocês a lenda por trás do filme. A lenda dos 47 ronins é conhecida em todo o Japão, e já foi adaptada mais de 80 vezes no teatro, cinema e em publicações diversas. Essa lenda tem sua origem na província de Harima e é uma das histórias mais conhecidas dentro do Bushido – a arte da espada e do samurai. É uma história sobre honra!

47ronins

 

rurouni-kenshinA lenda começa em 1701, um tempo de paz durante o Shogunato de Tokugawa. Os refugiados que gostam de cultura japonesa já devem ter lido ou ouvido o nome desse shogun em animes e/ou mangás (Rurouni Kenshin – Samurai X – é um ótimo exemplo).

O Shogun Tsunayoshi vivia e reinava em Edo, mas tinha muito pouco poder politico. Para mostrar respeito para o Imperador (e aumentar seu poder e influência), Tsunayoshi enviava presentes para Kyoto, onde o Imperador residia. Com isso em mente, os presentes eram enviados na época das celebrações do Ano Novo e em retorno, o Imperador mandava presentes de Kyoto para Edo.

Lord-AsanoNo dia 14 de março, incapaz de suportar os insultos de Kira, Lord Asano desenbainhou sua katana (esse ato por si só já era uma ofensa capital quando efetuado dentro do castelo de Edo) e feriu Kira de leve. Por tal ofensa, o Shogun Tsunayoshi ordenou que Lord Asano cometesse o seppuku. Kira, por outro lado, não recebeu qualquer punição. Antes de morrer Lord Asano escreveu:

Kaze sasou Hanayorimonao Waremomata Harunonagoriwo Ikanitokasen

“As flores que caem não querem partir, mais frustrado do que as flores, o que devo fazer?”

 

O fato do Shogun não ter punido Kira e ter ordenado a execução por seppuku a Lord Asano irritou os seguidores e amigos de Asano. De acordo com as leis reinantes quando um samurai cometia seppuku, o seu castelo era confiscado pelo Shogun, a sua familia era deserdada, e os seus 321 samurai eram ordenados a separar-se e a dispersar, tornando-se assim Ronins (pra quem não entendeu, ronins são samurais sem um senhor). Os samurais de Asano não ficaram divididos. Alguns pensavam em se recusar a entregar o castelo ao Shogun, outros achavam que deviam planejar uma vingança contra Kira e outros achavam que deviam respeitar a lei e render-se pacificamente.

Oishi Kuranosuke, chefe conselheiro de Lord Asano, depois de ouvir todas as opiniões transmitidas pelos samurais, traçou um plano: Pedir ao Shogun o reestabelecimento da “Casa de Asano”, encabeçada pelo irmão mais novo de Lord Asano, Daigaku. Se esta petição falhasse, os samurais de Asano não entregariam o castelo e iriam defender a propriedade até a morte.

ataque-47ronin

Nos dias que se seguiram, enquanto os agentes do Shogun se dirigiam para Ako, todos os samurais que se oponham à petição deixaram o castelo, restando apenas 60 dentro do castelo. Mesmo antes que qualquer um dos emissários do Shogun chegasse ao castelo, Daigaku Asano enviou uma mensagem a Oishi pedindo que obedecessem às ordens do Shogun e entregassem o castelo.

Oishi e os outros 59 samurais aceitaram o pedido de Daiguku, mas antes de entregarem o castelo, bolaram um plano para restaurar a honra de seu mestre, Lord Asano, matando Kira, que desonrava todos os ideais samurais por aceitar sair impune depois da morte de Lord Asano. Para esses 60 samurais, apenas a morte de Kira traria a honra de volta para Lord Asano e sua família.

47-Ronin

Kira, que não era tolo, suspeitava que os samurai de Asano tentariam se vingar dele uma hora ou outra. Para afastar qualquer tipo de suspeita Oishi retirou-se para Yamashima, subúrbio de Kyoto, onde ganhou uma reputação de jogador e bêbado, o que fez com que espiões de Kira e aguarda do Shogun não prestassem tanta atenção às suas atividades.

O Shogun ainda temia que a morte de Lord Asano poderia gerar conflitos e ordenou a prisão de seu sucessor, Daigaku Asano, e sentenciou o seu confinamento e de sua familia em uma pequena província, eliminando qualquer possibilidade da “Casa de Asano” se reestabelecer. Durante dois anos, os ronins de Lord Asano esperaram pacientemente, disfarçados de comerciantes, vendedores de rua e até de bêbados, espionando Kira e pensando em uma forma de criar uma oportunidade para invadir sua mansão. Até que finalmente Kira relaxou.

Numa reunião secreta, Oishi e os outros 59 ronins decidiram que era a hora de devolver a honra a seu mestre. Oishi decide levar apenas 46 dos 59 ronins e enviou os outros 13 de volta às suas famílias.

Em uma noite de neve no dia 14 de dezembro de 1702, Oishi e os seu homens infiltraram-se em Edo. Os 47 ronins atacaram a mansão de Kira enquanto ele dava uma festa do chá. Divididos em dois grupos, atacaram a mansão pela entrada principal e pelos fundos, lutando contra 61 guardas armados. Depois de uma hora e meia de batalha, os Ronins de Asano venceram todos os guardas de Kira sem nenhuma baixa.

noite-do-ataque-47Ronin

Kira foi encontrado escondido na casa de fora e foi levado até o átrio principal e, frente aos 47 ronins, foi-lhe dada a mesma honra que havia sido concedida a Lord Asano: morrer honradamente cometendo seppuku. Kira não concordou e acabou decapitado por um dos ronins. Para simbolizar a conclusão de sua missão, os 47 ronins retornaram ao local da sepultura de Lord Asano, no templo Sengaku-Ji, e lá colocaram a cabeça de Kira, recuperando a honra de Lord Asano.

Sabendo do crime que haviam cometido, desobedecendo ao Shogun, Oishi enviou um mensageiro a Edo, informando o que haviam feito e informando que ficariam à espera do Shogun no templo Sengaku-Ji. O Shogun Tsunayoshi ficou muito impressionado com a enorme lealdade demonstrada pelos 47 Ronins e, se viu em um dilema: Deveria ele apenas separar os 47 Ronins como reconhecimento pelo a sua enorme demonstração de lealdade para com o Bushido ou deveria ele puni-los de acordo com a lei? Depois de 47 dias de reflexão, o Shogun Tsunayoshi ordenou que Oishi e 45 dos Ronin se matassem, não como meros criminosos, mas como honrados guerreiros. O mais novo dos ronins, que levou a notícia da morte de Kira, foi poupado. Em 4 de fevereiro de 1703 Oishi e os outros 45 Ronin cometeram seppuku simultaneamente. Seus corpos foram enterrados lado a lado com seu mestre no templo Sengaku-Ji.

Atualmente, a memória dos 47 Ronins é celebrada em uma peça comovente chamada Chusingura. Paralelo a isso, milhares de japoneses visitam todo ano, o local onde estão enterrados os corpos dos 46 ronins no Templo Sengaku-Ji, para prestar homenagem à honra e lealdade desses samurais e a sua dedicação ao código do Bushido.

Como eu já comentei no post sobre o filme, admiro da cultura japonesa e acredito que histórias como essa trazem muitas lições que podemos aplicar em nossas vidas. Até agora, parece que essa última adaptação da lenda trará boas surpresas! Vamos aguardar! Fiquem ligados em nossos murais para mais informações, refugiados!

 

Daniel Keller – acredita na honra através da espada

Comentários

comentários

About The Author

Daniel Keller

"Far over the misty mountains cold, to dungeons deep and caverns old. We must away ere break of day, to seek the pale enchanted gold…" Sobrevivente e acumulador de histórias, desbrava o mundo através da imaginação e da criatividade. Designer por escolha e redator por sorte do destino, busca a vida perfeita. Longa vida à Nação Nerd!

One Response

Leave a Reply

Your email address will not be published.