Um brinde ao BunkerNerdSalve! Salve Nerdaiada! Hoje quero se juntem a mim para fazermos um brinde! Um brinde aos amigos! Um brinde a novos desafios! Um brinde a todos os nossos soldados e demais oficiais! E um brinde a nós, nerds, que tornamos esse mundo mais interessante SEMPRE!

Isso mesmo nerds! Estamos em ritmo de comemoração (e não é papo de bêbado no estilo “Te considero pra caraaaaaaaaiii!”) porque esse mês nosso querido BunkerNerd comemora um ano de vida! Aeeeeeeeh! 😀

parabens-Bunkers

E aproveitando esse ritmo ‘alegri e ‘coteti, resolvi dividir com vocês alguns dos segredos de uma bebida quase tão antiga quanto a humanidade: a CERVEJA!

É possível que alguns de vocês já estejam pensando que “cerveja é tudo igual”, mas tenho uma – aliás, algumas – novidades para vocês nerds: assim como outras bebidas como o vinho, o wiskeys e até o café, a cerveja dispõe de uma variação incrível de cores, aromas, combinações e sabores. Apenas pare e pense em quantas cervejas você conhece. Não tem nenhuma que julga assim, diferente?

cerveas-e-suas-variacoes

Por ser uma bebida comumente mais amarga, para alguns a cerveja é apenas uma bebida barata e ruim. Eu mesmo, quando comecei a beber já com meus 22 anos (Yeaah, right… XD), iniciei com a cerveja porque era fácil de beber (barata!) e eu consegui encontrar uma que era “bebível”. Tava lá no posto (que era point da cidade em que eu morava na época XD), conversando com o meu velho, quando eu perguntei “Hey, pai! Posso comprar uma cerveja pra beber contigo?”. E aí foi! Com o tempo aprendi que existia algo a mais nessa bebida até então descomprometida e simples. Ficou curioso? Então vamos começar!

A cerveja é a prova que Deus nos ama.
Benjamim Franklin, inventor, diplomata e líder da Revolução Americana.

Com a declaração de um dos grandes inventores da história para abrir o assunto, comecemos a nossa estória: A cerveja acompanha e perneia a história humana, estando – para alguns estudiosos como esse que vos escreve – diretamente relacionada com vários fatos históricos. Por exemplo:

  • Registros históricos que datam de aproximadamente 9.000 a.C., já mostram o princípio da agricultura com a cultura de cereais na Ásia (isso é antes da invenção da roda!);
  • A antiga cidade de Tebas, registrou em 3.400 a.C., a fabricação de cerveja;

cerveja-e-os-sumerios

  • Em 2.500 a.C. os chineses produziam cerveja de painço, chamando a bebida de tsiou.
  • No séc. VIII d.C., o cervejeiro foi reconhecido como artesão especializado;
  • No meio disso tudo, as Pirâmides e a Muralha da China foram construídas, o papel foi inventado, Cristo nasceu, o  Império Romano caiu e alguns mosteiros começam a produzir a cerveja em maior escala (Ah, esses monges!).

monges

Percebam que historicamente, o ser humano só deixou de ser nômade quando começou a desenvolver a agricultura e o cultivo de grãos. Foi a “dica” para que pequenos grupos pudessem se fixar. Os primeiros campos de cultura de cereais surgiram na Ásia Ocidental por volta do ano 9.000 a.C, onde o homem pegava grãos e moía para obter a farinha. Daí a “brincadeira” de que o que fixou o homem em um só local, foi a necessidade de produzir pão e cerveja, uma vez que ambos alimentos possuem o mesmo valor nutricional e ingredientes muito semelhantes, diferenciando no processo de produção (por isso que a cerveja ganhou o nome de “pão líquido” em um determinado momento da história).

Você sabe como a cerveja é feita (perguntinha para você ser a estrela do bar)? Vamos lá!

O primeiro passo é selecionar os grãos, que depois são amolecidos com água até que iniciem a fase de germinação. Isso porque é nessa fase que o amido dos grãos começa a virar açúcar. Depois disso, interrompe-se a germinação e os grãos são secos e torrados, gerando o malte (olha aí o famoso malte!) que dá um gostinho adocicado aos grãos. Aí é só jogar uns microrganismos em cima e deixar fermentar! He-he-he! XD

Calma! Não é tão nojento quanto parece, mas é essa fermentação que transforma os açúcares em álcool e aí, temos a bebida dourada que chamamos de cerveja!

processos-cerveja

Existem alguns registros históricos que trazem algumas histórias sobre o descobrimento da cerveja. Claro que, como a maioria dos “descobrimentos” gastronômicos, deve ter sido uma tremenda cagada! Alguém guardou uns grãos por tempo demais, caiu uma chuva, o pote tava meio aberto, a água acumulou, tudo fermentou e quando o carinha foi abrir o pote: TCHARAM! Cerveja!

Deixando um pouco a história de lado, com o tempo, outros povos foram tendo contato com essa bebida, adaptando-a de acordo com os recursos que possuíam e também com a sua cultura de consumo. Isso nos rendeu uma variedade absurda de cervejas pelo mundo (sei que hoje são mais de 200 marcas, isso tirando as classificações, e diferenciações), sendo que atualmente, determinadas regiões se vendem como “o país que produz a Red Ale maismelhordegostosadomundo!”.

Cervejas Chimay

A Chimay é uma cerveja Trapista, ou seja, é produzida dentro de um mosteiro trapista. Sua primeira cerveja foi produzida em 1864, em Chimay, na Bélgica e suas três qualidades, diferenciadas pelas cores vermelha, branca e azul permanecem até hoje.

O Brasil ainda é aprendiz na arte de apreciar cervejas, mas nos últimos 5 anos, muitas marcas importadas têm aparecido nos mercados do país (como a famosa Duff, presente no seriado dos Simpsons) e várias micro-cervejarias estão pipocando por aí.

Aqui em Curitiba/PR, a cerveja artesanal (de nome inusitado) Diabólica já conquistou legiões de fãs! Tanto que não é tão fácil encontrar essa cerveja nos bares e restaurantes. Outra marca que estourou, foi a WayBeer, produzida em Pinhais/PR.

diabolicas-e-ways

Tudo isso também fez com que bares e restaurantes criassem propostas para atrair os apreciadores e degustadores dessa bebida. Pra quem acha que isso é exclusividade de cidades como São Paulo e Rio de Janeiro, em Curitiba já contamos com diversos estabelecimentos criados para esse fim, como o Clube do Malte, a Cervejaria da Villa e o HopN’Roll (esse último onde você pode agendar um dia com o mestre cervejeiro e criar sua própria cerveja!).

Pra finalizar essa primeira parte da nossa conversa e fazer você correr para o mercado mais próximo e gastar parte do seu rico dinheirinho em cervejas, aqui vão alguns dos tipos mais comuns encontrados hoje:

tiposTipo Pilsen: é o tipo mais comum. É leve, clara e combina com praticamente tudo, de petiscos até caviar! É a famosa gelada que mata a sede!

Tipo Bock: Cerveja típica de inverno, essa é mais encorpada e também mais forte (6% a 7% de álcool) . Com um tom escuro, puxando pro vermelho pode ser confundida com a Malzebier, mas não se engane! Esse tipo de cerveja é marcado pelo amargor com sabor mais torrado, lembrando um pouco o café. Harmoniza com salsichas, pretzels e mostarda (#partiubardoalemao).

Tipo Weiss: Com o malte feito a partir do trigo, difere muito no sabor e apresenta uma aparência mais opaca. É um dos meus tipos preferidos! É uma cerveja gostosa de tomar, menos amarga, clara e mais cremosa. Harmoniza muito bem com pratos alemães e queijos mais fortes como o queijo de cabra.

Tipo Pale Ale: Chegamos as belgas! Esse tipo de cerveja é de alta fermentação, típico da região da qual se origina. Vai muito bem com carnes mais fortes, como a de carneiro e de porco (pode incluir um queijinho também que vai que vai!).

Tipo Stout: Essa é para os amantes de amargor. Cremosa e bem escura, essa cerveja é menos palatável para as pessoas menos acostumadas com cerveja. Típica da Irlanda é uma cerveja mais forte e rica em lúpulo. Combina com queijo parmesão, mariscos, crustáceos e chocolate! Já fiz o teste! Um chocolatinho desses com 60% de cacau com essa cerveja para acompanhar… Nerds! Experimentem!

Red Ale: Outra das minhas favoritas! Esse tipo de cerveja é cremosa, densa e encorpada. Costuma ter aromas diferenciados, algumas vezes lembrando aquele cheiro madeira de carvalho que sentimos em alguns wiskeys ou cachaças. Também com um teor alcoólico mais elevado, harmoniza com carnes vermelhas e carne de porco.

 

Espero ter conquistado mais alguns fãs dessa digníssima arte de beber… quer dizer, de degustar cerveja. Na parte 2 tem mais! Boa semana e boa bebedeira! XD

Parabéns equipe BunkerNerd!

 

SD Daniel Keller – teve que parar várias vezes para ir ao banheiro quando escreveu esse texto.

Comentários

comentários

About The Author

Daniel Keller

"Far over the misty mountains cold, to dungeons deep and caverns old. We must away ere break of day, to seek the pale enchanted gold…" Sobrevivente e acumulador de histórias, desbrava o mundo através da imaginação e da criatividade. Designer por escolha e redator por sorte do destino, busca a vida perfeita. Longa vida à Nação Nerd!

7 Responses

  1. uggs uk outlet

    uggs uk outlet

    Not a bad idea, But the only method i saw that currently being drastically need to scrubbing along with our own high heel chaffing over the lining the marriage gifts put them on is cooking the pockets, sadly terrible, isn’t that exactly what they will…

    Responder
  2. cheap Uggs

    cheap Uggs

    including in western side eu, what’s more on north america, fashions happen to be gaining as for both brands, extremely adidas, and the recognized sprinting deliver the results double number development in the third quarter.

    Responder
  3. cheap uggs

    cheap uggs

    as with your everyday a stack of clothing, your ability to succeed in succeeding as pleasing at the gym is based on the comfort and then attractiveness of a borrower’s wardrobe.

    Responder

Leave a Reply

Your email address will not be published.