Para entender essa matéria você terá que ler sobre a primeira sessão do RPG Chronus Lantern.

Quando as luzes da Arena se ascendem Eldon fica curioso com as luzes que se apagam e ascendem de repente, mas não se atem muito a esse fato. Com o dinheiro em mãos ele entrega um desenho de Dion aos aventureiros que são convidados a participarem de mais batalhas em suas arenas.

Com o desenho em mãos eles saem para conversar com Maynor que está ao lado de fora da sala de Eldon. Nesse bate papo descobrem que Rupert na verdade era um guerreiro muito hábil que nunca deixava sua espada de lado e poderia facilmente derrotar o cavaleiro que o afrontá-ra na taverna se tivesse sua arma em mãos. Com essa nova informação nossos aventureiros ficam ainda mais curiosos em descobrir quem realmente é Rupert.

Saindo da arena clandestina eles entram ainda mais fundo na floresta quando se deparam com um pequeno teatro que emana uma luz verde. Intrigados com a construção, eles vão investigar e encontram uma mulher que se materializa no ar em uma cadeira de troncos contorcidos. A batalha se torna eminente quando Avan se desentende com a mulher misteriosa.

Com um movimento de suas mãos a Bruxa da Trindade Morgana sumona 3 esqueletos que lutam contra Avan, Victor e Drahul. A batalha é lenta e perigosa pois por mais frágeis que os esqueletos sejam conseguem causar um bom dano nos guerreiros que o desafiaram. Com a vitória sobre as criaturas malditas os ossos dos esqueletos se juntam e forjam um cajado de madeira. Investigando mais de perto Victor percebe que o cajado se trata de uma distração para atrair pessoas para o controle das bruxas da floresta. Estudando as folhas da floresta Victor faz uma bainha de folhas, que anulam feitiços, e conseguem assim manejar o objeto.

bruxa001

No acampamento depois da batalha, Avan faz o primeiro turno de guarda e encontra o Ent Softnuck que está viajando pela floresta em busca de sua família. Ele fica sensibilizado pela história do Ent e sugere que ele fuja dessa floresta o mais rápido possível.

Quando é a vez de Victor ele também encontra um Ent, mas a história é bem diferente. Se tratava de um dos truques da Bruxa da floresta para afastar os aventureiros e assim facilitar sua captura. O Ent se transforma em uma das bruxas que faz com que toda a floresta ecoe “Sem coração!” A bruxa esbraveja que Victor é sedento por sangue de animais e seres humanos, entretendo, após verem a arma de Victor se transformar em cinzas, os aventureiros não se atem as informações passadas pela Bruxa e assim batem em retirada o mais rápido que podem.

Durante a corrida para longe da floresta encontram uma casa de madeira rustica com luzes acesas. Drahul escala a casa e Victor vai direto a porta pedir informações. São recebidos por uma mulher jovem de cabelos cumpridos e rosto muito amigável. No meio da conversa o grupo comenta sobre a falta de montarias e como cavalos poderiam facilitar sua jornada para encontrar Rupert. A misteriosa mulher só confiaria suas montarias aos guerreiros se eles passassem em seu teste, este por sua vez se daria pela visão do passado de cada aventureiro.

Drahul é o primeiro a ser estudado pela mulher e algo muito inesperado acontece. “Maldição de onog” ela grita. “Saia agora de minha casa e espero que jamais volte” ela grita. Assustados com a constatação da mulher eles saem da casa com mais perguntas que respostas. Assim que pisam para fora ela já sai em frenezi e começa a castar feitiços de proteção pedindo ao rei da floresta que a proteja e também manifesta uma maldição. “Faça com que aquele que anda pelas sombras morra no 27º dia”.

Quando finalmente conseguem sair da floresta encontram um senhor chamado Kazimir. Sua atitude é irreverente e ele parece não sofrer controle nenhum do cajado das Bruxas da floresta. Ele parece ser muito habilidoso com magia uma vez que mostra seu poder de sumonar armas no ar. Promete cavalos aos aventureiros e tenta fazer uma troca. Ele daria armas aos aventureiros se Drahul lhe entregasse o medalhão com seu nome. Sem chegar em um acordo Kazimir promete que se os aventureiros o encontrassem novamente na ilha esquecida ganhariam encantamentos em suas armas.

kazimir

Depois da conversa percebem que estão completamente fora de curso. A floresta os enganou e os levou para sul, deixando-os na porta do monastério de Pélor. Sem comida e precisando de descanso resolvem ir para o monastério que é conhecido por dar abrigo para aqueles que precisam.  Com medo de ser descoberto por seu antigo mentor Victor toma uma poção e se disfarça para não chamar muita atenção. Chegando na porta escutam um debate entre o mestre do monastério e um Elfo.

“Você precisa me entregar essa poção logo! Não aguento mais essa maldição. Elfos mestiços precisam ser extintos, eles são uma doença para minha raça” disse o elfo. “Vamos entregar! Precisamos apenas de mais tempo” disse o mestre do monastério. “Vocês tem 1 semana, senão serão meus exércitos em sua porta” ameaçou o elfo jogando o mestre do monastério no chão.

No caminho para a porta do monastério cruzam com o elfo, mas não são reconhecidos. Avan estava escondido e nem se quer olha para o rosto do Elfo que na verdade é seu avô. Quando entram no monastério são recebidos muito bem e são levados para o quarto de viajantes.

monastério

Mal conseguem comer quando escutam: “Helke, não adianta se esconder! Estamos chegando e vamos capturar você”. Os sons dos tambores de guerra são ensurdecedores, e as flechas chegando no monastério iniciando o fogo!

Chamas, chamas que queimam.

Comentários

comentários

About The Author

@RenatoEstranho

We drank, we fought, we made our ancestors proud. Andando e vivendo com o caderno na mão para não perder a informação. Publicitário metido a escritor com ideias que precisa por no papel. "From womb to tomb, we are bound to others, past and present.” Cloud Atlas.