…Não… Você vai chorar porque  tem um coração.

Olá caros refugiados deste Bunker que hoje se rende ao drama.

Fomos (Eu e Renato Estranho) assistir o filme “A Culpa é das estrelas”.

E já de cara mando pra vocês o seguinte: não espere sair do filme com lágrimas nos olhos.

Você vai sair do filme com um sorriso!

Sim, A Culpa é das Estrelas é mais um daqueles filmes que te mostra um lado que você desconhece da vida… Um lado triste, depressivo e sem perspectiva nenhuma.

Mas mostra também o lado de pessoas que lutam contra essa perspectiva tão negativista e faz você perceber que no fim das contas por pior que você esteja nenhuma situação é tão ruim que não possa piorar permita que você encontre a felicidade… Independente da situação que a gente esteja.

A Culpa é das Estrelas, filme baseado na obra literária de John Green, te tira da sala do cinema com um sorriso no rosto porque chega a ser injusto você achar que seu problema é tão grande a ponto de você não poder ser feliz… Ou pior… Negar a felicidade de alguém…imagem 1

Este filme mostra a (de certa forma) triste, porém resignada história da adolescente Hazel Grace Lancaster (Shailene Woodley), uma paciente terminal de câncer nos pulmões que encontra, durante uma das sessões dos grupos de auto-ajuda para pacientes com câncer, Augustus Waters (Ansel Elgort), também adolescente, que amputou uma de suas pernas devido a um câncer de ossos (osteosarcoma).imagem 2

Até então, o que nos é mostrado é a vida de uma garota que desistiu de viver e passou a sobreviver. Uma menina muito bonita que vive enfurnada em seus livros e em sua vida limitada e difícil.

No entanto, Augustus Waters traz uma força diferente para Hazel Grace.

Faz ela se sentir forte… Faz ela se sentir viva… Faz ela se sentir feliz!

E vivendo em um limitado grupo de adolescentes que tiveram sua vida mudada pela doença, Hazel Grace, Augustus e seu amigo Isaac, cego de ambos os olhos por ter tido que passar por uma cirurgia que o fez perder a visão percebem que não é tão difícil viver com as dificuldades que a vida nos traz. Aliás, mais do que lutar contra qualquer dificuldade que possa surgir, estes três, principalmente o casal principal mostra que mais do que sobreviver, é possível viver e ter alegria, mesmo nos momentos mais difíceis.

Mesmo com todas as dificuldades respiratórias, limitações por conta dos equipamentos médicos e aparelhos respiratórios, Augustus dá um jeito de levar a mulher que ama para a viagem de seus sonhos: conhecer o autor de um de seus livros preferidos.

Ok, a viagem não sai como planejado, mas ainda assim foi mais um desafio sobrepujado e vencido por um casal que a gente acha que tem tão pouca expectativa.imagem 3

Nem todos os momentos do filme podem colocar um sorriso no seu rosto. Pode ser que seja necessário levar uma caixa de lenços de papel para a sala de cinema, mas ainda assim a Culpa é das Estrelas fala de derrotas e vitórias. Tristezas e alegrias. Traz pra gente uma mensagem de que cada momento de tristeza é um passo em uma caminhada para o crescimento e amadurecimento de uma pessoa. E que após essa caminhada, todo e qualquer momento de alegria deve ser tratado como um momento de alento e refresco para corpo, alma e mente de alguém. Há uma infinidade de coisas entre um momento e outro. Há uma infinidade de números entre o 1 e o 2. E uma infinidade ainda maior entre o 1 e o 10. Alguns infinitos são maiores do que os outros… E cada pessoa deve aprender a viver seu infinito da melhor maneira possível.

A Culpa é das Estrelas arranca lágrimas até de homens de verdade e isso não é uma vergonha.imagem 4

Mas como eu já disse, ainda que gotas de lágrimas nublem a sua visão, você vai olhar no espelho e ver um sorriso involuntário estampado no seu rosto.

Um sorriso de satisfação por saber que existe gente no mundo que luta pela sua felicidade, independente das dificuldades… E vence! Ainda que esta seja uma ultima ou efêmera vitória…

Eu tenho uma tendência a eleger aventuras como o meu “melhor filme do ano”.

E estamos na metade do ano, mas já coloco este filme como o grande favorito deste ano. Não pela tristeza, mas por toda esta mensagem positivista que Hazel e Augustus nos passam!

Preparem os lenços refugiados… Eles podem ser necessários para limpar o suor masculino que sai dos nossos olhos ocasionalmente!

Paulo Gomes, o Chorão


Comentários

comentários

About The Author

Convidado

Convidado especial @BunkerNerd.

Leave a Reply

Your email address will not be published.