Salve, salve nerdaiadaaaaaaaaaah!

Depois de meses de espera, finalmente o show Metallica By Request aconteceu! =D

Metallica by request

Metallica-Brasil2014O show aconteceu no último dia 22/mar, em São Paulo/SP e foi a 14ª vez que a banda passou pelas terras tupiniquins! Foram 2h15 de pura magia do metal! Esse foi meu terceiro show da banda, mas foi o primeiro show exclusivo do Metallica. Deixa  eu explicar: eu já assisti o Metallica no Rock in Rio duas vezes, uma em 2011 e outra ano passado, em 2013, mas nunca havia conseguido ir para um show solo. Esse foi o primeiro! =D

Um show do Metallica é sempre algo para se lembrar! E eu e minha patroa não podíamos deixar de prestigiar a banda mais uma vez! Depois de termos assistido ao filme Metallica:Through the Never!, estávamos eufóricos para ver a banda novamente.

Eu queria ver Kirk, Lars, Trujillo e Hetfield quebrando tudo novamente e sentir aquela vibe de mais de 60 mil roqueiros enlouquecidos, cantando (leia gritando em fúria) em uníssono, as musicas icônicas da banda.

 

Metallica-SP2014

Uma novidade dessa turnê está no próprio nome: By Request. Isso porque o setlist dos shows dessa turnê foram feitos com as músicas escolhidas pelos fãs! /

Isso mesmo!! Cada país votou nas músicas que queria ouvir e o setlist foi personalizado dessa forma! Isso foi algo inédito para a banda e acredito que não seja algo comum dentro da indústria da música. Achei fenomenal! Você, refugiado, roqueiro, fã, maluco, adorador do Deus Metal, enfim, nós que somos fãs, pudemos nos sentir realmente parte de uma experiência única! E isso é muito legal!

Desde o episódio em que o Metallica processou o Napster, em 2000, a banda estava “rotulada” como antiquada por algumas mídias. Essa foi a maneira da banda mostrar que quer estar a frente, alcançando um contato maior e mais real com o seu público. Tanto que, se já não bastasse tudo isso, uma surpresa a mais apareceu nos telões do palco montado no estádio do Morumbi, SP…

by request

Nós escolhemos a música que encerraria o show!!! Caraaaaaaaalh#, como assim?!

Beleza… Foi Seek and destroy que encerrou o show, mas foi o que eu pensei na hora que vi o telão pela primeira vez. A votação pela escolha de qual música fecharia a noite aconteceu durante todo tempo, desde a abertura dos portões até o fim do show, e dentre as três opções, The day that never comes foi a escolhida, seguida por Ride the lightning e Memory remais. A banda encerrou o espetáculo com chave de ouro (com direito a piadinhas e provocações do James Hetfield, que revelou queria mesmo era tocar Ride the lightning, um dos primeiros grandes sucessos da banda)!

Uma outra ótima surpresa foi a banda que abriu o show do Metallica. Raven, a banda que o próprio baterista do Metallica, Lars Ulrich, disse ser uma das maiores responsáveis por ele ter decidido se tornar músico. Raven trouxe o poder clássico do metal, surpreendendo o público com muita energia, som espetacular e vocais incríveis! A grande pena desse espetáculo todo foi culpa da produção do show… 😛

RAVEN

Infelizmente, a calibragem do som estava um lixo e para deixar a situação ainda mais embaraçosa, o microfone do leadsinger da banda, estava praticamente mudo, o que privou muito aqueles que não conheciam a banda de aproveitarem o espetáculo. Foi triste, mas a qualidade da Raven é tão absurda que eu vibrei e cantei os refrões como se nada estivesse acontecendo. Recomendo essa banda para todos aqueles que apreciam um bom som e um bom metal!

Também fomos presenteados com a nova música “The lords of summer” e houve mais surpresas! Fãs foram selecionados para anunciar algumas das músicas do setlist do show. Mário, de Porto Alegre, introduziu “Sad but true”. Thiago, de São Paulo, chamou “Creeping death”. E Carla, de Cascavel anunciou “Whiskey in the jar”. Nunca tinha visto isso num show. Que inveja desses caras!!!

img-1021874-metallica

Como não podia deixar de acontecer em um bom show de rock, a chuva também marcou presença no dia de sábado (afinal, São Paulo é a cidade da garoa)! A única coisa realmente chata de ter chovido durante boa parte do show, é que o tão esperado show pirotécnico que sempre acompanha o Metallica não fez parte dessa apresentação, sendo representado por apenas um disparo vermelho durante a música “Fuel”.

Mas esse show de fogos foi substituído por um outro show de luzes… o show fornecido pelo público de mais de 65 mil pessoas!

panoramica-show-luzes

Esse é o estádio do Morumbi iluminado pelas câmeras durante os primeiros acordes de “One”.

Die-Die-Die

E esse é o Morumbi de mãos levantas durante do “Die! Die! Die!” de Creeping Death.

Também, com as músicas que nós escolhemos, não podia ser diferente! Foram 18 músicas, contando com a última, escolhida no fim do show:

“Battery”
“Master of puppets”
“Sanitarium”
“Fuel”
“The Unforgiven”
“The lords of summer”
“Wherever I may roam”
“Sad but true”
“Fade to black”
“…And justice for all”
“One”
“For whom the bell tolls”
“Creeping Death”
“Nothing else matters”
“Enter Sandman”
“Whiskey in the jar”
“The day that never comes” (the chosen one!!!)
“Seek and destroy”

Como diriam os meus primos do RS, o Metallica foi ‘tri a fuder! O show começou com o trio de músicas  “Battery”, “Sanitarium” e “Fuel” e, com chuva ou sem chuva, todo mundo que estava no estádio pirou muito!!!

momento hater

Eu preciso falar de algumas coisas que me irritaram muito nesse show.

  1. Gente, sério! Se você vai num show de rock de verdade, e não em um show de uma boyband de merd# que se diz roqueira, não reclame das pessoas que fazem headbang perto de você. Pra quem não sabe o que é isso (isso prova que você não é roqueiro de verdade), é quando todos os cabeludos e cabeludas balançam suas cabeças freneticamente para frente e para trás, com variações sistemáticas rotacionais para a direita ou esquerda.
  2. Por que caralh#s, tanta gente acha que pode sair de onde estava, seja para ir no banheiro, comprar bebida ou ir encontrar a mãe, não interessa, e volta acreditando que tem o direito de voltar para o mesmo lugar?! Pooooorraaaaaaaaaaaaaaaaa!! NÃO! Eu estou aqui desde as 17h FDP! Sem beber ou mijar e não vou dar licencinha para você voltar pro “seu lugar!” xO
  3. Porque tanta gente acha que ir em show de rock é ir pra se quebrar????? Na boa, se você e sua turma de retardados acha que ficar fazendo roda pra bater nos outros é curtir o show… Cara, não, não é! Porque você não está vendo porcaria nenhuma e ainda está incomodando e ferindo outras pessoas que pagaram a mesma merd# que você para poder estar lá!
  4. Tem gente que acha que virar a sombra da pessoa que está na frente adianta alguma coisa. Novidades para você, não adianta nada! Você só está irritando a pessoa na sua frente e se estressando com uma possibilidade que não existe! Afinal, dois corpos não ocupam o mesmo lugar ao mesmo tempo! Duh! xP
  5. Não empurre para a roda de porrada, uma pessoa que está claramente sinalizando que não quer ir para a porr# da roda de porrada! Você está sendo babaca e ainda está fazendo com que uma pessoa que não tem n/d a ver com aquilo se machuque e se perca de seus amigos ou familiares.

Eu esperava uma atitude diferente de um público composto inteiramente por fãs do Metallica. Me decepcionei um pouco ao perceber que muitas atitudezinhas babacas que vejo em bares de rock se repetiram nesse show. Rock é música gente! A ideia de quase 70 mil pessoas cantando juntas a mesma música é fenomenal e não a ideia de pessoas se estapeando e lutando por 1 m quadrado de espaço. Rock não é violência! É uma forma de expressão e um estilo de vida.

eu-metallica(2)

Mas passado esse momento de raiva, só tenho a agradecer ao Metallica por mais um show, recheado de lembranças e de momentos que guardarei para sempre. Rumo ao próximo show!

 

Daniel Keller, foi ao show Metallica By Request, no dia 22/mar/2014, em São Paulo/Brasil

Comentários

comentários

About The Author

Daniel Keller

"Far over the misty mountains cold, to dungeons deep and caverns old. We must away ere break of day, to seek the pale enchanted gold…" Sobrevivente e acumulador de histórias, desbrava o mundo através da imaginação e da criatividade. Designer por escolha e redator por sorte do destino, busca a vida perfeita. Longa vida à Nação Nerd!

Leave a Reply

Your email address will not be published.