Salvem-se refugiados!

Dirigido por Darren Aronofsky ( mesmo diretor de Cisne Negro), NOÉ (Noah, 2014) trará de volta a clássica histórica bíblica do grande dilúvio. Eu vi o filme antigo de 1956, chamado Dez Mandamentos (Ten Commandments) algumas vezes e preciso confessar que a versão antiga ainda me impressiona. Pensem na época em que o filme foi feito! A cena do Mar Morto sendo dividido é algo impressionante (vejam aos 2:40’’ do trailer)!

Fiquei bastante curioso e também um pouco ansioso ao imaginar como será ver algo nessa magnitude, com a capacidade tecnológica que dispomos hoje. Mas eu já estou divagando… Vamos a premissa do filme, previsto para março/abril de 2014, NOÉ!

Noé  2014

Para os que não estão familiarizados com a história, segundo a Bíblia, Deus ficou descontente com a perversidade dos homens e, em sua amargura, decidiu limpar a Terra, destruindo toda a raça humana, poupando apenas os animais que, aos Seus olhos, eram os únicos seres ainda puros.

Um homem chamado Noé teve visões sobre esse holocausto e, em suas preces, ouviu a voz de Deus. Ao saber dos planos do criador, Noé ficou apavorado com o que Ele lhe reservava, mas Deus disse que o considerava o único homem justo na Terra. Com isso, Noé recebeu a ordem para construir uma arca que deveria abrigar um casal de cada espécie de animal existente na natureza, afim de poupá-los do grande dilúvio. E assim deu-se início a vida de mais um profeta!

Além de Russell Crowe como papel principal de Noé, o elenco conta com as ilustres presenças de Anthony Hopkins, Emma Watson (para a alegria dos “fapadores” de plantão) e Jennifer Connelly  (vocês já viram ela como a namoradinha do HULK, no primeiro filme do verdão em 2003).

O diretor, Darren Aronofsky, revelou ao DGA Quarterly detalhes sobre os efeitos especiais do filme. Segundo o cineasta, foi criado um reino animal inteiro para o filme: “Todos os animais são levemente ‘melhorados’. Eu não queria o clichê do urso polar, do elefante e do leão entrando na arca. Eu não queria a tomada de uma girafa olhando pela amurada. Queria respeitar a história e pensar o que aconteceria se isso realmente acontecesse. Basicamente percorremos o reino animal e localizamos “as formas” que queríamos: alguns paquidermes, alguns roedores, répteis e pássaros. Escolhemos as espécies e esses animais foram trazidos à vida com diferentes pelos e cores. Queríamos algo que não fosse facilmente reconhecível, mas que também não fosse completamente absurdo”.

Graças a quantidade e a complexidade dos animais em computação gráfica, o filme Noah talvez entre para história com a cena mais complicada nos já feita nos 38 anos da Industrial Light & Magic – empresa criada responsável pelos efeitos visuais do filme  e criada por George Lucas.

No trailer é possível vislumbrar os momentos de tensão que se seguirão no filme. Parece que teremos aquela velha sensação de “grudar na cadeira”. O que eu acho ótimo!

Fiquem ligados nas gotas de chuva, refugiados! A qualquer momento, teremos novas mensagens!

 

Daniel Keller – ainda acha que o ornitorrinco trolou o Noé para conseguir entrar na arca…

Comentários

comentários

About The Author

Daniel Keller

"Far over the misty mountains cold, to dungeons deep and caverns old. We must away ere break of day, to seek the pale enchanted gold…" Sobrevivente e acumulador de histórias, desbrava o mundo através da imaginação e da criatividade. Designer por escolha e redator por sorte do destino, busca a vida perfeita. Longa vida à Nação Nerd!

One Response

Leave a Reply

Your email address will not be published.