A realidade virtual está dando o que falar ultimamente, e de fato esta tecnologia, vislumbra ser o próximo passo na evolução do entretenimento e ao que tudo indica, está vindo para ficar com a proposta de mudar a forma com a qual estamos acostumados a consumir entretenimento, com a promessa de alterar a forma como assistimos filmes, ouvimos músicas, jogamos video games, mas não para por aí, muitas funcionalidades estão por vir, sendo este apenas um aperitivo de tecnologias apenas mostradas em filmes de ficcção coentífica como Minority Report – A Nova Lei (2002), Inteligência Artificial (2001), Os Substitutos (2009) e Gamer (2009), como todo projeto em desenvolvimento, após alguns testes mal sucedidos e períodos de readaptação dos produtos, uma nova geração de óculos VR ou de realidade virtual, estão no mercado, alguns com data de lançamento para 2016, outros ainda sem data de lançamento, mas todos com a promessa de satisfazer todas as necessidades virtuais dos usuários. Sim, a corrida para ganhar o mercado já começou e o que não falta, são opções com os preços mais variados que podem ou não agradar o seu bolso, a seguir, sem ater à dados técnicos ou datas de lançamento, iremos dar uma breve olhada nos produtos que estão chegando nas prateleiras nos próximos meses ou anos, dentre eles, algumas das marcas que prometem revolucionar de um jeito ou de outro, o mercado com novas tecnologias e novos conceitos de diversão e entretenimento:

Realidade Virtual 001

  1. Oculus Rift: Projeto bancado pelo Facebook de Mark Zuckerberg, também possuidor da desenvolvedora, Oculus VR, é um dos projetos de maior notoriedade, devido a sua grande popularidade e visto como uma das grandes promessas do mercado, teve seu início no KickStarter, recebendo até apoio de John Carmack, o cara simplesmente é um dos fodões da série Doom, o Rift promete uma experiência mais completa e imersiva, inicialmente virá acompanhado de um controle de Xbox One, mas está sendo avaliada a implementação de gadgets que terãoa função de ler os movimentos do usuário.

Realidade Virtual 002

  1. HTV Vive: Claro que a Valve de Gabe Logan Newell, não iria ficar de fora, o aparelho usa dois sensores que devem ser colocados no ambiente onde o usuário pretende utilizar o aparelho, basicamente tem a função de delimitar a movimentação, evitando assim que o jogador se mate na vida real, enquanto estiver se divertindo, o recomendado é que o ambiente tenha pelo menos 15 metros quadrados, além disso, possui opções adicionais de alteração entre câmeras, caso o jogador queira visualizar o ambiente ao redor, possui a função de recebimento de chamadas, função de sincronização com smartphones, já é possível jogar alguns títulos famosos da Valve Left e Dead, Half-Life e Portal, quem testou, aprovou.

Realidade Virtual 003

  1. Playstation VR: Projeto da Sony, também conhecido peto codinome “Projeto Morpheus” durante o processo de desenvolvimento, foi projetado para funcionar em paralelo com o PlayStation 4, não possui tantas opções quanto seus concorrentes, por esse fato, conseguiu ter um preço mais acessível, possui uma taxa de atualização de quadros de até 120Hz, ou seja, possui um excelente FPS (frame per second), o aparelho vem acompanhado de fone, porém, não vem embutido, requer o uso de acessórios adicionais para uma imersão completa, são eles, Dualshock 4, Playstation Move e Playstation Câmera.

Realidade Virtual 004

  1. HoloLens: Onde tem possibilidade de lucrar, lá está o velho Bill Gates, a Microsoft não dormiu no ponto e tratou de preparar seus óculos de realidade virtual para entrar na briga, obviamente, funcionárá em paralelo com o Xbox One, porém, seguindo pela contramão, ao invés de criar uma realidade própria, o dispositivo cria uma realidade aumentada, ou seja, sobrepõe elementos, ou como queira entender, cria hologramas visíveis pelo usuário no ambiente ao redor, a proposta é que o público alvo seja desde gamers, estudantes, pesquisadores até profissionais da indústria, dentre as funcionalidades disponíveis, seria possivel demonstrar como uma máquina é construída, a promessa é que seja possível interagir livremente com os objetos.

Realidade Virtual 005

  1. 360VR: Já os coreanos do grupo LG, além das utilidades padrões, seguindo a Valve, aposta na conexão de seu óculos com smartphones via USB.

Realidade Virtual 006

  1. OSVR: Administrado pela Razer, pretende seguir os padrões Linux open source, ou seja, código aberto, o projeto ainda está em andamento e promete inúmera atualizações, já é possível obter a quarta geração do óculos pelo site da empresa.

Virtual

  1. StarVR: A StarBreeze quer investir forte em seu produto, ainda sem data definida, pretende montar stands que demonstre a capacidade de seu óculos em jogos.

Virtual

  1. Gear VR: Dentre as opções já disponíveis no mercado, a Samsung é uma das que oferecem a melhor imersão atualmente, inclusive até disponpivel no Brasil, mas ao contrário de seus concorrentes, nem de longe possui as mesmas funcionalidades, é obrigatório o uso de smartphones top de linha como o Galaxy S6, Galaxy S6 Edge, Galaxy Note 5 ou superior, sendo assim, encarecendo consideravelmente o preço total para quem pretende adquirir o aparelho, possuem sensores de múltiplas funções, uma quantidade considerável de conteúdo e uma ótima opção para quem não quer perder tempo, os pontos negativos para quem quer um além das limitações imersivas, é o triste fato de que os óculos funciona somente com acessórios Samsung.

Virtual

  1. Google Cardboard: É uma opção básica soldado, se você chegou até aqui e já está depressivo, pois sabe que não vai poder bancar nenhum desses óculos de realidade virtual tão cedo, saiba que as empresas pensaram na gente, os pobres e miseráveis, a Google desenvolveu um dispositivo barato que apesar de não ser nada confortável e limitado, oferece um pouquinho do que é realidade virtual, para isso, basta baixar todos os aplicativos necessários conforme instruções, requer um smartphone e é funcional para sistemas operacionais androids e IOS.

Mas espera soldado, você acha que acabou por aí? A imersão da realidade virtual, abre brexas, para inúmeras possibilidades, as empresas do ramo estão investindo forte em aparelhos e “cacarecos” que podem ser usados com os óculos VR e aumentam consideravelmente a imersão do usuário, muitos dos óculos top de linha, podem se utilizar de tais gadgets, entre eles, podemos encontrar os seguintes exemplos:

  1. The PriorVR: Esse equipamento usa sensores inerciais de alto desempenho para fornecer 360 graus de movimento de baixa latência, tudo em em tempo real e sem a necessidade de câmeras, sistema ótico, linha de visão ou equipamentos grandes e desajeitados.
  2. Cyberith Virtualizer: É uma placa de base plana que possui uma superfície de baixo atrito que permite ao jogador andar, correr e atirar livremente em qualquer direção, pelo fato de ser plana, a movimentação é realista, aumentando dramaticamente a imersão, o anel construído sob medida, nos permite realizar movimentos verticais como pular ou agachar e realizar movimentos de 360 graus.
  3. The Stem System: é uma plataforma de rastreamento de movimento sem fio para jogos, realidade virtual e muito mais. Ele permite aos jogadores interagir naturalmente e intuitivamente com jogos rastreando os movimentos dos usuáros no ambiente onde foi instalado.
  4. The Reactive Grip: Funciona como um controle normal, no entanto, são dispositivos controladores de movimentos de alta precição, esta tecnologia é compatível com interfaces de controles baseado em movimento como o Nintendo Wii, Sony Move ou Microsoft Kinect, e também pode fazer um emparelhamento formidável com um óculos VR para níveis sem precedentes de imersão e realismo em um ambiente de jogos de realidade virtual. O protótipo do controlador do jogo atual usa um Razer Hydra como sistema de rastreamento de movimento, mas pode ser usado com outra marca de rastreador.
  5. The Dexmo: É um exoesqueleto mecânico que capta os movimentos da mão, bem como a pressão exercida . Ele oferece a possibilidade de um novo tipo de funcionalidade, a interação humana no campo da robótica e realidade virtual.

Bônus

Realidade Virtual Pornografia

Mas tem mais, além de tudo isso que vimos, para finalizar com chave de ouro soldados bronheiros de plantão, a realidade virtual quer mudar até a forma de como você faz aquela transa casual, sim, sabe o velho cinco contra um, o single play, a carreira solo, ou como muitos preferem chamar, “fazer amor com a própria mão”, pois é, nunca mais será o mesma, a indústria pornográfica para variar, não perdeu tempo e tratou logo de botar as mulheres e homens para “trabalhar” e criar inúmeros conteúdos para serem consumidos por usuários de óculos VR, fato esse que alavanca a venda de dispositivos como Google Cardboard, Gear VR e Oculus Rift, atraindo ainda mais os holofotes para a tecnologia VR, o site Pornhub começou a disponibilizar conteúdo para maiores de 18 anos via streaming, os vídeos são compatíveis com a maioria dos dispositivos VR, otimizados para smartphones Android e iOS, mas antes que alguém pergunte, sim, o conteúdo é gratuito, mas se você prefere ter mais opções, já existem sites especializados que disponibilizam e vendem conteúdos por até 30 dólares, sãos eles: BadoinkVR, HoloGirlsVR, VixenVR, KinkVR, VRTube.XXX, DorcelVR, VRGirlz, VirtualPorn360, CzechVR, NaughtyAmericaVR, PrimaVR e por aí vai. Mas por favor soldados, vão com calma, transar faz bem, mas transar demais, pode matar, no vídeo a seguir, vemos a reação de pessoas que experimentaram este tipo de conteúdo.

Soldados, esse post foi apenas um aperitivo, conforme os lançamentos forem ocorrendo, iremos nos aprofundando, fiquem ligados.

TheDemoBOT

Comentários

comentários

About The Author

Convidado

Convidado especial @BunkerNerd.