Ho ho holá estranhos, tudo bem com vocês? Hoje trago para vocês um review de um filme que eu queria muito ver: The Witch.

Esse filme dirigido por Robert Eggers tem uma premissa espetacular, mas não muito bem explorada durante todo o longa-metragem. O grande inimigo de qualquer produção é o tão famoso Hype. Para você que não sabe Hype é o exagero de propagandas sobre o filme. Quando ficam usando quotes de mil pessoas para fazer o filme ser notado. “Sthephen King se arrepiou ao entrar no cinema” Puff, não precisa disso.

A história é de uma família extremamente religiosa que foi banida de sua comunidade e precisam buscar outro lugar para morar. Até aí tudo bem. Sua morada fora da comunidade fica perto de uma vasta floresta macabra e o mistério é instaurado quando o filho mais novo é levado por uma criatura de capuz vermelho, a tão esperada bruxa.

the witch floresta

Se o filme acabasse nesse momento eu falaria que ele é 10/10. Todo o mistério é muito explorado, mas depois de 1 hora (que parecem três) ele começa a ficar chato. A história é apresentada como “A Bruxa”, mas você não vê a bruxa! Se ela aparece por 10 minutos é muito.

Esperava grandes sustos, um suspense intrigante, e posso dizer que não foi isso que recebi. O filme tem momentos espetaculares, mas não dou uma nota muito boa para ele não. Se puder dar uma dica, digo para você entrar no cinema, ficar 10 minutos, sair e voltar para prestigiar os 20 minutos finais.

the witch mesa

The Witch é um filme que eu esperava mais, muito mais. Holywood escuta o tio Re e produz um filme foda sobre bruxas, nunca pedi nada.

Comentários

comentários

About The Author

@RenatoEstranho

We drank, we fought, we made our ancestors proud. Andando e vivendo com o caderno na mão para não perder a informação. Publicitário metido a escritor com ideias que precisa por no papel. "From womb to tomb, we are bound to others, past and present.” Cloud Atlas.