Olá refugiados! Essa semana nós teremos dois capítulos de RPG! AEEEEEE!!!!! Sabem por quê? Não sabem? Porque o Castor esqueceu de colocar as opções no final do capítulo 11!

facepalm bunker

#ForaCastor #QueBurroDáZeroPraEle #ACulpaÉDoCastor

OK, ok. Convenhamos que ninguém me avisou nos comentários também… mas, de qualquer maneira, vamos ao capítulo 12 da nossa campanha de RPG! Hellen encontrou um viajante estranho e seu animal de estimação. Eles pareciam ser amigáveis e prometeram ajudá-la a reencontrar os Anões. Mas será que ela pode confiar em Vincent?

(Opção escolhida nº X)
Sniff-Sniff-Sniff…

Então vamos lá e dê o play!

Vincent – Então me diga: O que sabe sobre este símbolo?

Hellen – Não muita coisa, mas já o vi em um livro. Estava no peito de um rei, mas sei que somente a família real usa isso aí… ou você é da nobreza ou roubou a roupa de alguém. Por isso não sei se devo confiar em você.

Vincent sorriu mais uma vez.

Vincent – Você está certa. Não aparento, mas sou príncipe de Cimyth.

Hellen – E se veste como um mendigo? Olha só essa barba cheia de terra! E também não está em seu palácio confortável? Porque um príncipe viria até aqui desse jeito? Ainda mais sozinho! Se precisasse de algo daqui, mandaria alguém buscar.

Vincent – Hahahaha! Eu passo maior parte do meu tempo fora da cidade. Não aguento viver naquele lugar. Vivo minha vida livre da sociedade.

Hellen – E quanto ao jaguar aí! Ele com certeza não é deste deserto! E desse tamanho? Ele inclusive fala!

Edgar – Sou de Saedul, a floresta sagrada. Nasci na presença de um Shimata. E apenas por estar próximo de um, recebi diversos benefícios da natureza. A aura de vida de um Shimata está muito além de nossa compreensão.

Hellen – Sério? Eles são poderosos a esse ponto? Mas então as coisas etsão mais feias do que imaginamos…

Vincent – E vai ficar ainda mais se não descansarmos! Vamos dormir. Há noite te levarei para Cimyth. Lá conversamos para ver como posso ajudá-la a encontrar seus responsáveis.

Tudo aquilo parecia muito estranho para Hellen. Mas de certa forma, ela sentia que podia confiar nos dois. E também, não tinha muitas opções. Por isso resolveu acreditar. Hellen encostou-se no grande jaguar “usando-o como um travesseiro” e descansou como se não dormisse há dias.

vicent e hellen bunker

Depois de muitas horas, Hellen acordou. Já havia anoitecido.

Hellen – Ei! Senhor príncipe! Acorde! Já passamos do horário! Você pode ser nobre, mas não temos muito tempo para dormir!

Vincent – Calma! Pra que tanta pressa? – respondeu o príncipe sonado enquanto se esticava.

Hellen – Se quisermos estar lá antes do amanhecer, temos que sair agora!

Vincent – Hahahaah! Você é muito preocupada para uma criança.

Vincent levantou-se, repartiu um pouco de comida com a criança e guardou todos os pertences do acampamento. Logo depois, montou  em Edgar e estendeu a mão para Hellen.

Vincent – Vamos, suba!

Hellen nunca havia cavalgado antes. Ainda mais um felino gigante! Então, animada, rapidamente aceitou o convite e ajeitou-se nas costas do animal.

Vincent – Segure-se!

O príncipe mal terminou de avisá-la e Edgar já disparou em direção ao horizonte. Hellen não esperava que a criatura corresse tanto. Nesse ritmo, eles chegariam à cidade muito antes do esperado.

Durante a corrida, Hellen não conseguia parar de pensar em Quincas e Edgarjoe. Ela sabia que o tempo também era curto para os dois e precisava ajudá-los. Afinal, foram eles que tomaram conta dela desde o momento que saiu de sua cidade natal. Mas o melhor a se fazer seria obter informações sobre o rei e depois tentar reencontrá-los.

Quando se aproximavam dos grandes portões da cidade, vários guardas já se movimentavam para abri-lo. Edgar passou por eles sem parar um único instante. Apenas continuou correndo rua acima, em direção ao palácio. A população abriu caminho para o grupo passar e depois voltava a agir com naturalidade, como se já estivessem acostumados com a situação.

Chegando à entrada do palácio, outro jaguar, este de tamanho normal, aguardava sentado. Ele mexia sua cauda de um lado para outro e parecia estar feliz com a chegada de Vincent.

Vincent – Olá querida. Vim passar uns dias aqui. E trouxe visita! – disse enquanto ajudava Hellen a descer.

O outro Jaguar caminhou com tranquilidade e lentamente foi se transformando em uma bela mulher. A menina não perguntou nada, mas entendeu que esta seria a princesa. Porém, apesar de estar bem mais limpa, também tinha uma aparência selvagem demais para uma nobre.

momo bunker

Momo – Já estava com saudades! E esta pequena criança? Vai dizer que estava andando sozinha por aí! – perguntou enquanto se agachava para ficar da altura da criança.

Hellen – Olá! Fiz um acordo com Vincent. Não pretendo atrapalhar muito. Inclusive, quero partir assim que obter as informações que preciso. Não estou dizendo que não queira ficar aqui. O palácio de vocês é incrível, mas tenho pouco tempo.

Momo olhou para Vincent, que respondeu apenas encolhendo os ombros.

Momo – Bem, vamos entrar. Assim podemos conversar em um lugar mais confortável.

O grupo seguiu até uma sala com grandes sofás macios e almofadas enormes. Porém, Hellen não aguentava esperar e já foi puxando assunto assim que se acomodou.

Hellen – Já contei minha história para Vincent. Agora quero saber de vocês. Quem é o Rei que eu vi em um livro que tinha este mesmo símbolo aí?

A princesa parecia conhecer a história, mas não queria comentar sobre. Apenas olhava para Vincent e deixava-o escolher o que iria responder.

Vincent – Bem, sei que a vida do seu amigo depende disso, por isso vou revelar esta informação para você. Mas é importantíssimo que ela não se espalhe!

Hellen – Faz sentido. Até porque se for algo ruim, não queremos que se repita! Não é?

Momo estava espantada com a inteligência da garota, mas ainda não estava certa se podia confiar nela.

Momo – Não sei exatamente o que você e seus amigos pretendem fazer, mas se for o que imagino, quero que nos ajude em troca das informações.

Hellen – Justo!

Vincent – Bem, por onde posso começar… – murmurou enquanto coçava a parte de trás da sua cabeça – O rei que você viu, é avô do avô do avô de Momo. Ou algo próximo disso… mas seja lá quem for, ele buscava a vida eterna.

Hellen – Ah! Essa história eu conheço. É do livro que eu falei!

rei morto bunker

Momo – Mas esta é a versão dos contos infantis. O que realmente aconteceu, poucos sabem.

Hellen – O mago sugou a força vital de um Shimata, pouco a pouco, da mesma forma que está fazendo com Edgarjoe!

Momo – Errado.

Vincent – Bhaltazar descobriu que ao derrotar um Shimata, uma pequena joia dourada em formato de ovo é criada com seu coração. E o portador desta pedra ganha a vida eterna! Agora, adivinha o que o mago fez?

Hellen – Ele derrotou um Shimata!

Vincent – Exatamente! Mas havia algo que ele não sabia. Quando um Shimata é derrotado, todas as criaturas vivas que estão dentro de sua aura de vida morrem e se decompõem instantaneamente. Sejam animais, plantas, fungos, monstros… todos dão suas vidas para que a joia possa ser criada. E no local onde isso acontece, nada jamais nasce ou florece.

Hellen – Então o círculo negro que encontramos… É o local em que o Shimata foi derrotado?

Momo – O centro dele, para ser mais precisa.

Vincent – Porém, não existem exceções para esta regra. Toda criatura viva no raio de alcance da aura do Shimata morre. Isso incluía Bhaltazar. Então no exato momento que atingiu a criatura com sua espada mágica, ele também se foi.

Hellen – Mas então como ele ainda está perseguindo Edgarjoe?

Vincent – Bhaltazar era poderoso. Logo antes de morrer, conjurou uma magia que o manteve vivo tempo o suficiente para tocar a pedra e tornar-se seu novo portador.

Hellen – Mas você disse que ele tinha morrido.

Vincent – E morreu… porém, conseguiu a vida eterna ao mesmo tempo. Desta maneira, acabou se tornando um morto vivo! Por isso, seu plano não ocorreu como o previsto, apesar de ter funcionado parcialmente. Ainda existe muito mais por trás dessa história…

 

Agora sim! Estamos cada vez mais próximos da verdade! Mas o que deve acontecer no capítulo 13?

1. Hellen ganha sua primeira arma e começa a aprender a usá-la.
2. Hellen aprende sua primeira magia, e demonstra ser habilidosa.
3. Momo revela saber o que é a masmorra em que os anões estão presos. E ela conhece uma entrada.
4. Hellen se perde e acaba em uma caverna com uma criatura misteriosa.

Votem nos comentários e vamos ver como isso continua!

Comentários

comentários

About The Author

Convidado

Convidado especial @BunkerNerd.