“Cada um de nós tem sua própria vida para viver. É uma jornada, não uma separação. É um começo, não um fim. Vai ser um pouco solitária, mas é assim que as coisas são.”

Pode parecer a frase de algum poeta, mas não é. Essa é uma das muitas frases ditas por Kenshin Himura, personagem principal do mangá e anime, Rurouni Kenshin, conhecido no Brasil como Samurai X.

Takeru Sato-KenshinEm minhas últimas buscas pelos vastos mundos das internets, encontrei algo que já havia vislumbrado, mas que não havia dado a devida atenção até agora. Rurouni Kenshin já foi adaptado para os cinemas! Sim refugiados! O Battousai existe e ele se chama Takeru Sato.

Para quem perdeu, nosso Marechal, @RenatoEstranho fez um texto sobre o primeiro filme, que você pode ler (ou reler para lembrar) aqui.

kenshin-montagem

Na adaptação live action, Takeru Sato realmente vive o personagem de Kenshin, aplicando todos os trejeitos que todos que assistiram ao anime conhecem (Oro?)! A adaptação, intitulada Rurouni Kenshin: Meiji Kenkaku Roman Tan estreou em agosto de 2012 no Japão e foi um tremendo sucesso. É fácil entender o porque só assistindo ao trailer.

Mas eu não escrevo esse texto para trazer notícia velha! Seguindo a empolgação e o espírito samurai que venho manifestado desde que comecei a escrever sobre o filme dos 47 Ronins (você também pode conhecer a história por trás desse filme aqui), trago uma boa notícia para os fãs da série do andarilho Kenshin: o filme virou uma trilogia e as 2 outras partes já estão em produção! Acho que pode ter a ver com os US$70 milhões da bilheteria do primeiro filme…XD

Seguindo o mangá, Rurouni Kenshin – The Kyoto Fire e Rurouni Kenshin – The Legend’s Conclusion serão as continuações que formaram a trilogia do live action.

Para quem ainda não acredita que a primeira adaptação ficou boa, vejam essa compilação de cenas do primeiro filme, feita com a música Sobakasu, tema de abertura da primeira temporada do anime:

O elenco do primeiro filme permance: Emi Takei (Kaoru Kamiya), Taketo Tanaka (Yahiko Myojin) e Yû Aoi (Megumi Takani) Munetaka Aoki (Sanosuke Sagara).

elenco

Novos personagens aparecem (Takeru Sato ainda é Kenshin, lógico!) e algumas imagens já confirmam que a produção e os atores continuam empenhados para trazer essa trilogia para as telonas!

novo-filme_Rurouni Kenshin-The Kyoto Fire

Eu considero Rurouni Kenshin um dos melhores mangás/animes de samurai já produzidos. Possui inúmeras referências históricas, repletas de personagens reais que são transportados para o mangá de forma magnífica! No anime, a animação, as sequências de ação e a trilha sonora fizeram com que essa obra ficasse marcada na infância e adolescência de muitos refugiados. Outro bom exemplo (e também para que muitos não fiquem put#s comigo), é o mangá Vagabond, inspirado no grande samurai e fundador do estilo Hyoho Niten Ichi Ryu, Miyamoto Musashi. Muitos daqueles que gostam desse tema já devem ter ouvido o nome de Miyamoto Musashi (que na minha opinião, foi a maior inspiração para a criação do personagem Aoshi, apesar de ele usar duas kodachi e não uma katana e uma kodachi, como manda o estilo de Musashi).

A história do personagem Kenshin, e também boa parte da história do mangá, foi baseada em uma história real! Trata-se dos Quatro Hitokiri Do Bakumatsu (Bakumatsu Shidai Hitokiri), quatro samurais que viveram durante o período histórico do feudalismo japonês conhecido como Bakumatsu (final do regime Tokugawa, entre 1853 e 1868).

Os quatro homens eram Kawakami Gensai, Kirino Toshiaki (também conhecido como Nakamura Hanjirō), Tanaka Shinbei e Okada Izō. Esses samurais se opuseram ao shogunato Tokugawa e apoiaram o Imperador Meiji, colaborando com a Revolução Meiji. Eram guerreiros de elite e considerados invencíveis e por isso, temidos. Para vocês terem uma noção do “peso” dos caras, a palavra HITOKIRI significa “Assassino ou Retalhador de Homens” (Olha o Battousai aqui!).

Kawakami GensaiAqui conseguimos comprovar o quanto o mangá Rurouni Kenshin foi baseado em um dos famosos Hitokiri. Nobuhiro Watsuki, o criador da série, se inspirou em Kawakami Gensai (1834-1871), o mais temido dos quatro Hitokiri Bottousai. Baixinho e com um físico frágil, era confundido facilmente com uma mulher, ainda que a sua natureza fosse oposta à sua aparência. Suas atitudes eram frias, calculistas e era considerado o mais perigoso dos quatro Hitokiri. Kawakami. Era conhecido por assassinatos cercados de misticismo, como quando cortou Sakuma Syouzan ao meio em plena luz do dia, usando o seu estilo de Battojutsu, chamado “Shiranui-ryu” (literalmente, “estilo Shiranui”, ou “estilo do fogo fátuo”). Esse estilo consistia essencialmente em dobrar perpendicularmente a perna direita, esticando a esquerda até ficar paralela ao solo e depois, sacar da espada.

Depois da Restauração Meiji, e consequentemente, com o fim da era dos samurais, as ideias de Kawakami colidiram com as defendidas pelo governo e ele acabou julgado sob acusações falsas e executado no 4º ano da era Meiji, em 1871.

A história se confunde com lenda, mas o bacana é justamente isso!

Enfim, refugiados! Samurai X veio para ficar e estamos ansiosos pelos próximos filmes! Fiquem de olho em nosso murais porque continuamos de olho. Aguardem novidades!

Links e livros bunkerrecomendados:
Instituto Niten (aprenda o estilo de Miyamoto Musashi)
http://www.niten.org.br/index.php 

Musashi (2 volumes), de Eiji Yoshikawa pela editora Estação Liberdade

musashi-2volumes

 

 

 

 

 

Daniel Keller, acha o Sanosuke Sagara fod#!

Comentários

comentários

Leave a Reply

Your email address will not be published.