Nos deparamos com esse filme de 2011 e logo sabíamos que era muito importante falar sobre essa obra de arte diferente e com muita criatividade de roteiro.

Sua categoria como filme seria Thriller Psicológico e, na minha opinião, é exatamente isso que ele é. Uma trama com foco nas emoções desbalanceadas dos personagens misturadas com mistério e Thriller. Sem contar a pitada de terror psicológico, com instabilidade emocional e gotas de explosão de nervos.

Para situar vocês na trama que torna esse filme tão impressionante daremos uma breve introdução.

Um casal de jornalistas está investigando um culto secreto com uma líder chamada Maggie (Brit Marling) que se diz do futuro. Peter Aitken (Christopher Denham) e sua namorada/mulher Lorna Michaelson (Nicole Vicius) acompanham o dia a dia do culto, anotando cada acontecimento, para poder escrever e produzir um bom documentário sobre esses artistas que “enganam” o público com boa atuação.

Eu gosto muito de filmes interpretativos, e o que me deixou mais intrigado sobre esse filme foram as dezenas de mensagens escondidas por trás de cenas que parecem não fazer sentido algum. Aos loucos pelo estilo holywoodiano, o filme deve ser uma grande decepção. Nossa escritora Mariana Salata não gostou do filme, e em suas palavras “Perdi uma hora e meia da minha vida” haha.

Hollywood na maioria das vezes apresenta um filme simples de ser entendido e raramente apresenta algum desafio para o espectador. Tornando esse filme uma experiência diferente por não seguir os moldes que estamos acostumados. Nesse caso temos que interagir com a produção, não apenas sentar e absorver o conteúdo “mastigado”. A obra é nossa também.

Os escritores do filme, em uma entrevista com a Wired, falam um pouco das mensagens escondidas contidas nas cenas. De acordo com eles, fica a critério da audiência decifrar os códigos de acordo com a importância que você dará para os fatos que você verá. Complicado ? nada. “Spoiler” – em uma cena que Lorna é levada para caminhar na floresta e acaba em um estande de tiro. Nesse momento o diretor convida o espectador a pensar na construção do personagem. Devemos confiar na Lorna ou nessa louca que pratica tiro em uma área restrita ?

Segundo o diretor do filme, o importante é a interpretação da palavra “Confiar”. Os três protagonistas do filme interagem e vão ao longo do filme mudando seu posicionamento com relação ao culto. Você confia na Maggie nossa viajante do tempo? ou prefere acreditar em uma foto com fonte duvidosa? São nas pistas dadas durante o filme que você vai poder montar sua crítica.

O filme é um convite para produções diferentes onde você pode participar no entendimento dos fatos. Participar é a chave para a compreensão da trama.

O que você achou ?

Condecorações: 4,5

 

Comentários

comentários

About The Author

@RenatoEstranho

We drank, we fought, we made our ancestors proud. Andando e vivendo com o caderno na mão para não perder a informação. Publicitário metido a escritor com ideias que precisa por no papel. "From womb to tomb, we are bound to others, past and present.” Cloud Atlas.

One Response

Leave a Reply

Your email address will not be published.