katinka simonse

Se você é um protetor dos animais não vai gostar da arte no mínimo diferente de Katinka Simonse, também conhecida como Tinkerbell.

Essa artista holandesa usa animais como matéria prima para sua arte.

Seu estilo é caracterizado como “Arte Performática”. Arte essa que choca e traz o diferente, mostrando mais expressão e carga emocional para o expectador. Não preciso dizer que Tinkerbell leva isso para uma ferida que está aberta nos tempos modernos: maltrato aos animais.

katinka simonse

Em sua defesa, para “justificar” suas criações, ela diz o seguinte: “Qual é a diferença se uma cobra está sendo morta para a confecção de , ou se uma vaca está sendo morta, eviscerada e depois comida, ou ainda se pintos machos, que iam ser mortos de qualquer maneira em uma casa de abate por meio de gaseamento ou outro método, são simplesmente submetidos a um triturador? Qual a diferença de você dar ao seu filho um coelho de estimação ou simplesmente dar-lhe um verdadeiro coelho, morto de pelúcia? Puta que pariu, Qual é a razão de se conseguir um hamster se você só vai interagir com ele através de uma bola de plástico ou gaiola?”.

Essa artista vegetariana está jogando sal na ferida das pessoas que apenas a julgam sem saber o fundo de sua exposição e motivação ao questionamento.

katinka Não pensem que sou à favor do maltrato aos animais, mas acho que ela está expondo um lado justo aqui. Ela não come carne e mata os animais para sua arte, enquanto nós carnívoros “maltratamos” os animais para nosso alimento.

tinkerbell tinkerbell katinka simonse katinka

simonse katinka

Polêmica e mamilo! O que você acha disso tudo?

Comentários

comentários

About The Author

@RenatoEstranho

We drank, we fought, we made our ancestors proud. Andando e vivendo com o caderno na mão para não perder a informação. Publicitário metido a escritor com ideias que precisa por no papel. "From womb to tomb, we are bound to others, past and present.” Cloud Atlas.

29 Responses

  1. Rhaissa Gonçalves

    Não gosto muito de participar de polêmicas, nem de ser uma hater! Mas se tem uma coisa que eu não consigo passar reto é maltrato aos animais. Pra mim essa mulher é uma perturbada, psicopata, que tem problemas mentais, e se esconde atrás da arte e da desculpa de que quer "chocar a sociedade" e apontar problemas (como a forma em que os animais são mortos nos abatedouros). Ela se esconde atrás de tudo isso para poder fazer essas atrocidades com cachorrinhos e outros animais e não ser presa! Porque era o lugar onde essa maluca deveria estar. Me desculpe, mas problema nenhum se resolve com maldade e com morte, muito menos de criaturas indefesas. Sim, o que acontece nos matadouros é terrível e desumano! Mas acredito, que essa está longe de ser a forma de resolver alguma coisa. Ela está chocando a sociedade? Sim, creio que está! Mas ela não é a primeira, e nem vai ser a última doente que mata animais "em nome da arte". E até agora, não vi nenhum resultado positivo vir disso. Qual é o próximo passo? Matar pessoas? Todo psicopata e assassino, começa maltratando animais na infância…

    Responder
  2. Soraya Souza Renfro

    Meus parabéns. Conseguiu seu objetivo. Até onde vai a crueldade humana?
    É, de fato, muito cruel o que ocorre nos matadouros. Eu mesma, depois de ver um documentário, passei 2 meses sem comer carne. Mas, sinto a necessidade de proteína. Soja me faz mal.
    Ou seja, é por um viés alimentício, precisamos comer pra viver. Já sua arte… podemos viver muito bem sem.
    Sua justificativa é fraca. Vá se tratar.

    Responder
  3. Pedro Henrique

    Em relação a materia em que questão.Um pergunta que pode ser feita para autora dessas "artes", é : Porque não começa a mata seres humanos? Alias são animais, em pro da dita arte .Em outras aspectos essas obras não passam meras esculturas que não tem valor algum para a comunidade artistica alem de ir contra a artigo que é relacionado aos direitos dos animais, tudo bem que é uma autora estrangeira.Porque que os animais ainda tem que pagar por erros e atitude dos ditos seres "racionais" ?

    Responder
  4. Renato Matuda

    Ela pelo que vi, diz:
    que vc usa teu animal ou a grande maioria como uma peça de roupa, que poucos amam os animais que tem, e os tem por status ou algo assim, como na exposição.
    Animais não são brinquedos, nem acessorios.

    Responder
  5. Maria Marinello

    e se ela tirasse o próprio fiofó colocasse um de plástico e fizesse uma exposição…é uma sugestão, ou fizesse várias interferências em seu próprio corpo, isso a sádica não faz né…

    Responder
  6. Beatriz Conceicao

    Se o artista ver os comentários por favor veja este:
    Fui almoçar a casa do meu pai e da minha mãe, o meu pai contou-me sobre um género de artista que fazia as suas artes com animais e eu que não acreditei. Bem, o tempo passou-se e um dia lembrei-me do que o meu pai me tinha dito, por isso fui á net. Encontrei várias páginas hororosas agora cada vez que os meus colegas falam disso eu só pensso nos meus animais.
    Afinal, eu sou veternária e sou contra com os abandonos e maus tratos dos animais. Por isso, eu digo que a senhora é uma psicopata, uma deficiente e uma das maiores cabras que eu já vi em toda a minha vida a fazer uma coisa destas.

    Responder
  7. Carlos Gonzales

    Será que não a uma autoridade COMPETENTE para colocar na cadeia essa PSICOPATA,SIM PORQUE se é capaz de fazer isso com animais pode fazer o mesmo com crianças o psicótico sempre é frio e calculista procura justificar sua perversão e inversão de valores chocando as pessoas e jogando-as no instintivismo primário esta mente psicótica é tão confusa que ainda se justifica como vegetariana MAS desconhece um dos fundamentos básicos da vida "fazei aos outros o que gostaria que fizessem para si mesmo",talvez essa inergumina queira que a trituremos para depois dissecá-la.

    Responder
  8. Arbusto Severini

    Aposto que 100% dos comentários abaixo expõe trivialidades que já foram antecipados pela artista antes mesmo de ela começar a fazer qualquer uma de suas peças.

    Responder

Leave a Reply

Your email address will not be published.